CALL e PUT

CALL e PUT

É consenso que o mercado financeiro possui grande diversidade de opções para o investidor. Além das convencionais movimentações diretamente relacionadas à negociação de ações, há o mercado de opções, que se trata de um espaço em que é negociado o direito de compra e venda das ações disponíveis na bolsa de valores; a opção de compra é denominada call e a de venda designada put.

Diferentemente da compra de ações, a aquisição de opções não representa o investimento em determinada empresa; no entanto, o investidor garante que, caso queira, poderá negociar tais ações futuramente com o preço do dia em que o contrato foi firmado. Uma importante característica das opções é que não existe a obrigação de que o dono dos derivativos (portador de call ou put) faça valer o contrato, apenas a opção de que sejam mantidos os valores previamente estipulados; tal benefício pode ser utilizado até o final do prazo de vencimento contratado.

Basicamente, opções são derivativos que, uma vez adquiridos, protegem o investidor de eventuais perdas. No caso da compra futura de ativos, o portador de uma call evita pagar um valor maior do que o que está sendo praticado hoje; já no cenário da venda de ações, o dono de uma put esquiva-se de receber um valor mais baixo do que pagou pelos papéis.

Em linhas gerais, a compra de uma call se justifica a partir do momento em que o investidor acumula evidências de que o preço atual das ações tem tendência de valorização em um futuro próximo. Por outro lado, para a venda deste tipo de opção há diversas variáveis que podem interferir na transação; deve-se ter em vista que se desfazer de uma call poderá influenciar diretamente em suas futuras aquisições de ativos. O ideal é que o investidor tenha suas projeções da flutuação do mercado, já que para se desfazer de uma call ele deve ter no horizonte o risco de desvalorização das ações de onde deriva a opção. Desta forma, é possível obter lucro com os derivativos antes que o ativo se desvalorize além do valor previsto no contrato.

A obtenção de put garante a possibilidade de venda de papéis no futuro com o valor atual, mesmo que haja modificação no valor dos ativos. Desta forma, caso o investidor opte por vender esse derivativo, deixa de ter o direito e a segurança de poder vender um ativo com preço previamente estipulado; no entanto, o vendedor recebe o valor pago pela compra de opções. Assim como ocorre com a call, a venda de uma put demanda certa visão prospectiva do mercado, pois se torna particularmente interessante quando o investidor enxerga uma futura valorização do ativo, em cifras superiores ao valor previsto no contrato.

Com o Oplab você consegue simular e acompanhar a evolução de seus ativos em tempo real!

Inicie agora seu teste grátis por 30 dias! 

 

 

 

Palavras chave: Call e Put

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *